• Breaking News

    9 de jan de 2018

    A Paz e a Natureza unidas no Mosteiro Zen-Budista


    Olá queridos amigos, vamos tirar um pouquinho do tempo da nossa vida atribulada para buscar a paz? É necessário e fundamental... Precisamos renovar as energias, buscar um caminho sereno e pacífico. Aqui no Espírito Santo, existe um recanto propício para encontrar a Paz: o Mosteiro Zen Budista localizado no município de Ibiraçu, há poucos quilômetros da nossa Capital,Vitória. 

    Na rodovia que dá acesso à entrada do mosteiro nos deparamos com a grandiosidade do portal vermelho, carregado de boas energias. É o grande portal Torii (o portão sem portão).

    Junto ao Portal existe um Jardim Zen, composto pelos principais elementos da natureza: terra, areia e pedras. 
    O Jardim Zen representa o universo e foi concebido para inspirar vitalidade e serenidade.Tranquiliza a ansiedade e os medos.

    Recentemente estátuas belíssimas de Buda foram adicionados ao Jardim e à entrada da estrada que leva ao Mosteiro. Completaram a paisagem de uma maneira excepcional...

    Curiosidade: é o maior jardim dessa modalidade em todo o Ocidente. 
    Grandiosamente o monumento tornou-se belíssimo. As estátuas de Buda parecem flutuar no ar, tamanha a paz e a tranquilidade que transmitem...
    Você acompanha melhor neste vídeo a  belíssima entrada do Mosteiro:
    Apesar de ser pavimentada, a estrada que leva até o Mosteiro é bastante íngreme e nos dias de chuva as visitas são suspensas, pois fica arriscado trafegar por ela. Mas dá para seguir viagem tranquilamente, pois a natureza é generosa...

    O Mosteiro Zen Morro da Vargem Zenkoji, fundado em 1974 pelo monge japonês Ryohan Shingu, é um espaço de convívio e de prática do budismo, mas é também uma importante área de preservação ambiental: praticamente tudo o que vejo ao redor foi plantado, já que toda essa área era destinada à criação de gado e à plantação de café. Ao longo de 40 anos, a paisagem do primeiro mosteiro budista da América Latina se transformou e a vida parece ter voltado ao cume desses montes. Veja que verdejante e vivo:

    A parada começa no Portal Somon com uma breve explicação de um dos monges que será o guia da viagem. Logo se percebe  que o mais importante aqui não é o crescimento do budismo como religião professada por eles, mas o desenvolvimento das pessoas, a melhoria do ser humano. Uma prova disso é que pessoas de várias religiões frequentam o Mosteiro.

    Portal Somon- Foto Altier Moulin
    A próxima parada é no Bonsho. Ele é um tipo de sino e pesa mais de uma tonelada. Produzido no Japão especialmente para o Mosteiro, ele tem inscrições em português. O Bonsho é tocado apenas duas vezes ao dia: às 6h da manhã, para encerrar o período de orações matinal – os monges acordam às 4h20 – e às 18h.

    Sino Bonsho - Foto Altier Moulin
    Restrito aos monges, o templo da oração, o Hattô é o templo de Buda. Voltado para o norte, no sentido oposto ao Portal Somon, ele tem paredes espelhadas e um altar com a imagem de Buda talhada em madeira. Além desse, há outro templos menores, como o de Kanon Bodhisattva e o dos mortos, que fica próximo ao cemitério onde são sepultados os monges que aqui viveram. Entre eles, está o túmulo simbólico de Augusto Ruschi, que apesar de não ser budista, colaborou com o processo de revitalização da área.

    A tranquilidade e a natureza nos guiam neste lugar mágico:
    Você pode seguir para o sodô. É hora de participar da oficina de não ação, que é uma prática de meditação criada há mais de cinco mil anos e que estimula a concentração e a capacidade de reflexão. As instruções são passadas pelo abade do Mosteiro, o monge Daiju Bitti. Por cerca de 20 minutos ele explica as técnicas e quais os resultados de sua prática regular. “Quando você estiver em meio a um turbilhão de problemas, você vai ter consciência para agir com tranquilidade. Você não vai agir por impulso e sem pensar”, diz.

    O Mosteiro Zen Morro da Vargem se estabeleceu seguindo a secular escola Soto Zen, introduzida no Japão no século XIII pelo Mestre Dogen Zenji (1200-1253), fundador do Mosteiro Eihei-ji em 1244. Ao longo de sua vida, Mestre Dogen destacava a importância da simplicidade, disciplina e da prática do Zazen, a Não-Ação.  O jardim composto de areia, pedriscos e pedras  no mosteiro - o desenho com pedriscos sugere o movimento da água e as pedras, suas ilhas, formando o lago da serenidade.  É fantástico e a paz emerge...
       

    A vida no Mosteiro Zen é cercada por rigorosa disciplina, voltada para a leveza das posturas e a liberdade da mente, e não para a estagnação. O bom humor é marca registrada no cotidiano dos monges. Brincadeiras, respostas inesperadas e vivacidade nos mínimos gestos são tradições no zen budismo.

    O complexo do mosteiro tem ainda trilhas ecológicas belíssimas, onde você poderá encontrar a paz em uma caminhada em meio ao verde, descansar e meditar...

    O espaço de paz contém ainda uma lojinha, alojamentos e um espaço cultural.


    Programe sua visita ao Mosteiro Zen de Ibiraçu

    Quando ir : O Mosteiro abre para visitações exclusivamente aos domingos, das 8h às 13h. A entrada é gratuita, mas é importante checar o clima antes de partir. Em dias chuvosos o mosteiro suspende as visitas. O Mosteiro realiza retiros periódicos. Para saber quando será o próximo, consulte a página do Mosteiro, no próprio site do Mosteiro que é o Mosteiro Zen.com.br
    Como chegar : Ibiraçu está a 66 quilômetros de Vitória, a capital do Espírito Santo. Para chegar aqui você deve seguir no sentido norte da BR-101 até avistar o Portal Torii, do Mosteiro. Logo depois, entre à direita onde a placa orienta. Da rodovia até o Mosteiro são pouco mais de dois quilômetros, sendo que parte deles é de subida íngreme. Boa viagem! :)))

    Veja aqui mais um pouquinho do Mosteiro, onde são ministrados os ensinamentos da paz e da compaixão. Até a próxima queridos amigos! 😊
    Fotos : Google Imagens e Sites acima mencionados
    Videos do You Tube

    Montanhas

    História

    Praias